CTA Itinerante reforça prevenção de doenças sexualmente transmissíveis

Para sensibilizar a população quanto à prevenção e tratamento das doenças sexualmente transmissíveis, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), implantou em quatro centros de saúde da capital o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) Itinerante. A iniciativa foi desenvolvida entre meados de junho e a primeira quinzena deste mês, por meio da Coordenação de Saúde Sexual e Atenção às DST/Aids e Hepatites Virais.

Foram montados nas unidades consultórios volantes, com uma estrutura especial para realizar o teste rápido para HIV, sífilis e hepatite. Os profissionais também ofereceram uma palestra, além dos exames, com orientações sobre prevenção, formas de contágio e tratamento.

Dos 509 pacientes atendidos no CTA Itinerante, 94,09 % foram testadas para sífilis. Deste total, 2,76 % acusaram resultado reagente para a doença. Para conter o aumento do número de casos, a Secretaria Municipal de Saúde criou um protocolo unificado para orientar os profissionais da área quanto ao diagnóstico correto, notificação, orientação e tratamento. Informações podem ser acessadas neste link.

A sífilis é uma doença infecciosa de transmissão sexual ou materno-fetal sistêmica, de evolução crônica. A infecção pode ocorrer em qualquer fase da gestação e o risco de transmissão é maior em mulheres com sífilis primária e secundária. No Brasil, a taxa de incidência da doença na gestação é de 2%. Sabe-se que 40% dos casos resultam em morte fetal, aborto espontâneo e natimorto ou, ainda, morte neonatal precoce e prematuridade. A meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) é diminuir os casos de sífilis congênita em 0,5% por mil nascidos vivos.

Prioridade

A prevenção da sífilis congênita constitui uma prioridade política do Ministério da Saúde e da Secretaria Municipal de Saúde. Por isso, todas as mulheres devem ser testadas para sífilis na gestação. A médica e referência técnica da Coordenação de Saúde Sexual e Atenção às DST/Aids e Hepatites Virais, Tatiani Fereguetti, explica a importância do teste. “Não só as gestantes devem ser testadas, mas seus parceiros e todas as pessoas sexualmente ativas ou que já tiveram atividade sexual. A sífilis congênita é resultado de uma cadeia da doença adquirida e não interrompida, por isso o tratamento é tão importante”, destaca.

Todos os 147 centros de saúde também oferecem testagem para HIV, sífilis e hepatites B e C, com resultados entregues em até 15 dias. Desde o início de 2014 as equipes dos centros de saúde estão em treinamento para o teste rápido de sífilis e HIV.

Responsabilidade compartilhada

O casal Maria Andréia Marques, de 35 anos, e Altamir Pereira, de 42, são atendidos no Centro de Saúde Mangueiras e ficaram sabendo do CTA Itinerante na própria unidade. Maria Andréia tomou a iniciativa de fazer os testes e, quando retornou para a casa, conversou com o marido para que ele também fizesse. “Eu só fiz esse tipo de exame quando estava grávida. Depois disso, nunca mais. Então decidi fazer aqui. Pagar um teste particular é muito caro e a gente precisa se prevenir”, disse.

Altamir nunca havia feito nenhum exame para diagnosticar infecções sexualmente transmissíveis e se surpreendeu ao saber que algumas patologias não são necessariamente contraídas por meio de relações sexuais desprotegidas. “A palestra foi bastante esclarecedora. A gente pode contrair hepatite em um salão, fazendo a barba ou fazendo a unha, com alicate infectado. Eu não sabia disso”, comentou Altamir.

A decisão tomada pelo casal é considerada por muitas pessoas como um tabu, mas realizar exames de diagnóstico e prevenção é necessário mesmo para quem tem parceiros fixos. A assistente social da Coordenação de Saúde Sexual e Atenção às DST/Aids e Hepatites Virais da SMSA, Heliana Moura, ressalta a importância do tratamento em conjunto. “Se um dos parceiros tem alguma doença, não adianta um se tratar e o outro não. Ambos precisam se submeter aos cuidados necessários, tomar os remédios e ir até o fim com o tratamento”, explica.

Posted in Sem categoria | Comentários desativados

Perdido no espaço: reentrada de satélite russo é imprevisível

A agência espacial russa Roscosmos confirmou que o satélite robótico Foton-M4, de 6.8 toneladas, não alcançou a órbita planejada e também não está respondendo aos comandos de engenharia. Sem controle, não é possível prever o que acontecerá durante o retorno à Terra. 
lançamento do foguete Soyuz-2-1a levando satélite Foton-M4
Clique para ampliar
O Foton-M4 foi lançado ao espaço no dia 19 de julho através de um foguete do tipo Soyuz-2-1a, a partir do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. A nave tem massa total de 6840 quilos e sua missão é realizar diversos experimentos em microgravidade, entre eles pesquisas biológicas e estudos relacionados à produção de semicondutores.

Ao que tudo indica, os problemas com o Foton-M4 começaram algumas órbitas após o lançamento, quando o fabricante do equipamento, a TsSKB Progress, informou que o satélite não estava respondendo aos comandos enviados pelas estações terrestres, embora os sinais de telemetria estivessem sendo recebidos normalmente e informavam que tudo transcorria conforme o planejado.

Posteriormente, dados de radar do sistema de vigilância espacial dos EUA, USSTRATCOM, indicaram que as coisas não estavam indo tão bem como informado. Os elementos orbitais divulgados pelo órgão de defesa mostravam que o Foton-M4 apresentava uma órbita elíptica com perigeu de 252 km e apogeu de 550 km de altitude, diferente da orbita circular programada de 575 km.

O erro na altura e shape da orbita provavelmente foi causado por uma falha no acionamento do terceiro estágio do foguete Soyuz-2-1a, que deveria elevar o Foton-M4 até uma orbita estável, onde os experimentos seriam conduzidos de forma semi-automatica.
Reentrada Descontrolada?
A baixa altitude de perigeu e o fato das estações de controle não poderem enviar sinais de comando ao satélite poderão ter consequências imprevisíveis nos próximos dias.

 

Rastreio do satélite russo Foton-M4
Clique para ampliar
Em condições normais, o Foton-M4 deveria retornar à Terra no dia 16 de setembro, após dois meses no espaço. A nave conta com um escudo térmico e um sistema de paraquedas capazes de trazer a carga útil de volta em total segurança. O local do pouso seria a região de Orenburg, no sul da Rússia.

No entanto, com a impossibilidade de comunicação com a nave e a menos que os foguetes de correção possam ser disparados no momento certo, o Foton-M4 pode cair em qualquer local da Terra entre as latitudes 65 graus ao norte ou sul do equador.

Segundo a Roscosmos, a nave tem capacidades automáticas de orientação e controle de altitude, mas não sabe como esse sistema deve se comportar com o perigeu extremamente baixo. Além disso, uma reentrada controlada sem interferência de comandos terrestres é uma operação bastante delicada, que dependerá de uma série de fatores para os quais ainda não há respostas.

A análise dos parâmetros orbitais dos próximos dias, em especial a altitude do perigeu poderá revelar se os sistemas de bordo estão ou não atuando na elevação e correção da órbita e o que podemos esperar em relação à reentrada da nave, que pesa 6.5 toneladas e não será consumida na atmosfera.
Rastreie o Fotom-M4 no Satview


Artes: No topo, lançamento do satélite Foton-M4 em 19 de julho de 2014. Acima, tela de rastreio do Satview mostra a passagem do satélite acima do território brasileiro, na manhã de 25 de julho de 2014. Créditos: Roscosmos, Satview.org, Apolo11.com.

 

Posted in Sem categoria | Comentários desativados

Não deixe a DENGUE voltar PREVINA-SE!!!!

 

combate-dengue-portal

 

A dengue é um problema de todo o país e é imprescindível a colaboração da população para evitar a proliferação do mosquito e impedir o avanço da epidemia. Na nossa nova campanha, convidamos todos a serem voluntários na prevenção da doença. Verifique sua casa e convoque os vizinhos para eliminarem pontos de água parada onde o mosquito pode se reproduzir e também para exterminar focos já instalados. A proliferação do Aedes aegypti é rápida, o mosquito pode atingir a fase adulta entre 7 e 10 dias e se a fêmea estiver contaminada irá transmitir a doença.  Os ovos do mosquito podem sobreviver por até 450 dias, mesmo se o local onde foi depositado o ovo estiver seco. Quando receber água novamente, o ovo ficará ativo. Por isso é importante eliminar a água e lavar recipientes que ficam em área externa com água e sabão. Isso vale para bebedouros de animais e bordas de piscina, por exemplo. O site do Instituto Oswaldo Cruz criou a campanha 10 Minutos contra a Dengue e desenvolveu uma lista de locais para checar em casa, em apenas 10 minutos, uma vez por semana. A lista pode ser baixada e impressa no site. Inclui a verificação de caixas d’água, tanques e cisternas, que devem estar  fechados. Não deixar acumular água em locais como vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores. No Facebook, a página Combata a Dengue, do Ministério da Saúde, também traz várias informações e dicas de como prevenir e combater a dengue, inclusive disponibiliza um aplicativo e um curso online para profissionais da saúde. Acesse também o site http://www.combateadengue.com.br Aja para o bem de todos! #combatadengue

Esse conteúdo foi copiado do Blog do Portal Voluntários Online: http://blog.voluntariosonline.org.br/nao-deixe-a-dengue-se-instalar-seja-voluntario-e-ajude-na-prevencao/?gclid=Cj0KEQjwur2eBRDtvMS0gIuS-dYBEiQANBPMRycNfEKhHh4O9luiVAaGosgz6-FmtVlAGlB3CTkHkFgaAtRf8P8HAQ

Posted in Sem categoria | Comentários desativados

PBH oficializa o Noturno nos Museus de BH



Por meio do Decreto 15.622, publicado no Diário Oficial do Município (DOM) de terça-feira, dia 22, o prefeito Marcio Lacerda oficializou o evento Noturno nos Museus de Belo Horizonte, que passará a ser realizado anualmente pela Fundação Municipal de Cultura (FMC). A iniciativa tem como objetivo promover o acesso do público a atrações e atividades culturais e artísticas em horário ampliado, nos museus e em outros espaços culturais da cidade.

Realizado pela segunda vez na última sexta-feira, dia 18, o Noturno nos Museus proporcionou ao público a oportunidade de visitar exposições, assistir a shows, apresentações teatrais e de dança, e participar de oficinas de arte durante a noite e o início de madrugada, em 32 museus e outras instituições de cultura de Belo Horizonte. Na edição deste ano, a Prefeitura disponibilizou transporte gratuito para os visitantes, entre os espaços culturais das regiões Centro-Sul e Pampulha, além de um aplicativo web para a consulta à programação do evento. Agora oficializado, o Noturno nos Museus passa a integrar o Calendário Oficial de Festas e Eventos do Município (Cofem-BH).

Posted in Sem categoria | Comentários desativados